4. Cuidando de quem cuida

Autores

  • Jaqueline Bandeira da ROSA Cesuca- Faculdade Inedi
  • Michelle Rocha FORTES Cesuca- Faculdade Inedi
  • Gisele Cristina TERTULIANO Cesuca- Faculdade Inedi

DOI:

https://doi.org/10.26843/rcec.v0iespecial.1788

Resumo

Introdução: A preocupação com a primordialidade de cuidar de quem cuida é salientada pela compreensão de que a assistência a saúde do trabalhador em especial nas suas necessidades humanas básicas poderá, isto  refletir e interferir no atendimento prestado. Além disso, prestar uma assistência livre de negligência e imperícia é uma atribuição dos profissionais de saúde. Pensando nisso e visto que o Brasil perdeu o certificado de eliminação do sarampo este ano, surge a necessidade de acompanhamento da situação vacinal dos trabalhadores da saúde, pois os mesmos têm um risco maior de exposição a doença. A proposta de uma atividade extramuro em uma unidade de saúde da família do município de Cachoeirinha, para conferência das carteiras de vacinas dos profissionais e aplicando o imunobiológico quando necessário. Todos profissionais da saúde devem ter duas doses da vacina SCR – tríplice viral contra Sarampo, Caxumba e Rubéola, conforme preconizado pelo PNI (Programa Nacional de Imunização). Objetivos: Disponibilizar para a equipe que da assistência ao usuário, de uma unidade de saúde de estratégia da família, a regularização de suas carteiras de vacinas com foco na tríplice viral, assegurando aos profissionais o seu direito. Metodologia: Estudo de caráter descritivo, através de um projeto de intervenção desenvolvido no Estagio Curricular I, na Vigilância Epidemiológica/Imunizações do município de Cachoeirinha, no período de setembro de 2019. Conclusão: Foi possível apurar as seguintes informações após a realização da atividade proposta: a unidade de saúde escolhida tem um total de trinta e oito funcionários, destes avaliamos as carteiras de vacinas de vinte e nove (76%), apenas nove (23%) tinham o esquema da tríplice viral completo, e vinte (53%) com apenas uma dose ou sem esquema algum, vacinamos uma total de quatorze profissionais, sendo seis  deles para completar o esquema com a segunda dose, e oito iniciando o esquema, realizado a primeira dose e aprazado a segunda para trinta dias apos, cinco  não estavam presentes na unidade no momento, e um  se recusou a receber a vacina, sem um motivo aparente. A importância do cuidado com os profissionais que trabalham cuidando do próximo, é fundamental para a compreensão do autocuidado.

Publicado

2020-06-24