Uso de Daphnia magna para a avaliação da qualidade da água do Rio Gravataí e a presença de microplásticos na água

Autores

  • Fernanda da Costa Souza
  • Daniela Oliveira Marko
  • Diulliane de Jesus Borba
  • Gustavo Cassão da Silva
  • Patrícia da Fonseca de Morais
  • Günther Gehlen
  • Gabriela Zimmermann Prado Rodrigues

Palavras-chave:

Daphnia magna; Microplásticos; Ecotoxicidade; Rio Gravataí

Resumo

A poluição do ambiente aquático tem sido uma das maiores preocupações da ciência e do público em geral nas últimas décadas, sendo os principais causadores os resíduos industriais, efluentes agrícolas, esgotos, metais pesados e microplásticos. Muitos poluentes são biologicamente ativos em baixas concentrações, resultando em efeitos subletais, o que torna a situação altamente complexa e difícil de avaliar. O plástico é um material relevante, mas junto com seus benefícios também surgem diversos problemas, um deles são as consequências do seu descarte irregular no meio ambiente e sua eventual fragmentação em microplásticos. O plástico pode alcançar rios e afetar sua biota através da sua degradação em micropartículas. O Rio Gravataí está entre os recursos hídricos mais contaminados e poluídos do país, mas ainda há poucos estudos que avaliam o efeito biológico das suas águas ou de seus poluentes. Objetivamos, no presente estudo, monitorar a qualidade da água do Rio Gravataí através da presença de microplásticos e de análises ecotoxicológica sem um modelo alternativo ao uso de um microcrustáceo, da família dos Cladóceros,a Daphniamagna. Para isso, amostras de água foram coletadas em um ponto amostral considerado menos impactado (P1) e em outro ponto com maior densidade populacional (P2).No presente estudo, os dados foram compilados e curados testes de crescimento e reprodução com ensaios de toxicidade de Daphnia magna(48h agudo) e (21 dias crônicos). Foi também feita a extração de microplásticos na água do rio Gravataí de acordo com o protocolo adaptado de Masura et al. (2015). Ao término do experimento,imagens de cada fêmea de Daphnia magna e as membranas contendo microplásticos foram capturadaspor meio de microscopia óptica (aumento de 40x) (Olympus IX73) a fim de verificar a cor, quantidade (microplásticos) e comprimento, deformidades da Daphnia magna, com auxílio do software ImageJ.

Downloads

Publicado

2024-03-22