Um estudo de casos múltiplos sobre a perspectiva do diagnóstico tardio de autismo em mulheres

Autores

  • Juliana Becker Soares
  • Maria Gabriela Marasco da Silva
  • Daiane Rocha de Oliveira

Palavras-chave:

Transtorno do Espectro Autista; Mulheres autistas; Diagnóstico tardio.

Resumo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um transtorno do neurodesenvolvimento e costuma apresentar-se de maneiras diferentes em homens e mulheres. Sugere-se que mulheres autistas (nível 1 de suporte) sem comprometimento cognitivo e verbal podem estar sendo subdiagnosticadas, já que apresentam menos características autistas, assim como, masking (camuflagem, mascaramento e compensação) dessas características. Também há vieses metodológicas nas pesquisas, as quais concentram-se no autismo masculino e nos seus traços, possuindo baixo número de mulheres nas amostras em relação aos homens. Assim, evidencia-se a necessidade de mais pesquisas que busquem a perspectiva das mulheres autistas, nível 1 de suporte, sem comprometimento intelectual e verbal. O objetivo deste estudo é compreender a perspectiva das mulheres, sem comprometimento cognitivo e verbal, ao receber um diagnóstico de autismo (nível 1 de suporte) durante a vida adulta. O método utilizado será o qualitativo, estudo de casos múltiplos e de corte transversal. As participantes serão todas mulheres de 18 até 40 anos de idade, as quais receberam diagnóstico de autismo, fechado por psicólogo ou médico, durante a maioridade, sem comprometimento intelectual e verbal (nível 1 de suporte). A amostra será escolhida por conveniência, acessada através do método bola-de-neve, o seu tamanho é determinado pelo critério de saturação de dados, estimando-se em torno de 10 participantes. Os instrumentos que serão utilizados são: questionário online e entrevista semiestruturada, realizada presencialmente e individualmente. Busca-se ouvi-las e entendê-las, sempre respeitando a sua autonomia e os procedimentos éticos. Deste modo, a entrevista será agendada em um local de escolha das participantes, assim, diminuindo os seus riscos. Como benefício, todas as voluntárias receberão um material psicoeducativo sobre a apresentação do autismo em mulheres. Os dados coletados serão analisados por meio da Análise de Conteúdo, em que se examina a mensagem, exprimindo sentidos e significados, de modo profundo e sistemático. Acredita-se que obter o diagnóstico de TEA depois da maioridade traga grandes mudanças na vida delas e ressignifique suas vivências, desta maneira, possibilitando uma melhor compreensão sobre si. Esta pesquisa corresponde a um projeto de pesquisa, o qual ainda não foi aplicada.

Downloads

Publicado

2024-03-22