Suplementação de ômega-3 na gestação e seus efeitos no desenvolvimento infantil pós-natal

uma revisão integrativa

Autores

  • Leticia Chamun Fernandes
  • Cindy Ribeiro de Oliveira
  • Chaline Caren Coghetto
  • Carolina Böettge Rosa

Palavras-chave:

Gestação; Ácidos Graxos Ômega-3; Desenvolvimento Infantil.

Resumo

Os ácidos graxos ômega-3, especialmente o ácido docosahexaenóico (DHA), são encontrados em diferentes membranas celulares, grande parte concentrado no cérebro, desempenhando um papel importante no comportamento e desenvolvimento da criança, além de papel importante na saúde materna. O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito da suplementação pré-natal de ômega-3 e seus resultados no crescimento/desenvolvimento e comportamento infantil. Realizou-se uma busca por artigos originais em bases de dados como Medline/Pubmed e Lilacs, utilizando os termos indexados das bases sobre “Gestação” e “Ácidos Graxos Ômega-3”. Após a triagem de 23 artigos, foram selecionados para leitura na íntegra 5 artigos que avaliaram a criança após suplementação de DHA na gestação. Como resultado, se observa que no primeiro estudo é sugerido uma dose de 650 mg de DHA/dia durante a gestação, para aumentar o equilíbrio (EQ) entre mãe e bebê, garantindo que haja benefícios durante a infância, contudo não há referência de dose na gestação. Outros estudos mostraram forte associação de DHA na interação de doenças e tratamentos na infância. Por tanto, a suplementação com ômega-3 na gestação pode prevenir a pré-eclâmpsia, trazer benefícios associados ao comportamento neurológico da mãe, aumentar o peso ao nascer, evitar parto prematuro e aumentar a duração da gestação. Entre os benefícios da suplementação pré-natal no desenvolvimento infantil, observou-se a prevenção de dermatite atópica e gastroenterite na primeira infância.

Downloads

Publicado

2024-03-22