Ruptura do reto femoral

protocolo de reabilitação para um paciente assistido pelo projeto de traumato-ortopedia da Brigada Militar do curso de fisioterapia do centro universitário Cesuca

Autores

  • Fernanda Barros Schreiner
  • Geraldo Passos Bittencourt
  • Caroline Bica Bildhauer
  • Gabriel da Fonseca Silva Soares
  • Gabriel Lessa Barcelos
  • Isadora Machado Araújo da Silva
  • João Pedro Cunha de Oliveira
  • Lorenzo Guedes Baseggio
  • Luiza Lopes Tavares
  • Matheus Padilha Gonçalves
  • Luiz Erostildes Aver
  • Sílvia Lemos Fagundes
  • Sandra Magali Heberle

Palavras-chave:

Reabilitação; Traumatologia; Reto femoral

Resumo

As lesões musculares tornam-se frequentes devidos à traumas, principalmente no esporte, os músculos mais frequentemente envolvidos são os biarticulares ou aqueles com maior complexidade estrutural, o músculo reto femoral se une com músculos do grupo do vasto (medial, lateral e intermédio), formando o músculo quadríceps. Do complexo quadríceps, o reto femoral é o que mais sofre lesões devido às suas características anatômicas únicas, que permitem essa suscetibilidade, ele possui alta proporção de fibras musculares tipo II, que são responsáveis pelos movimentos explosivos e rápidos, uma das doenças mais comum ruptura ou estiramento muscular, esta lesão ocorre quando um músculo é submetido a um esforço tão grande que as fibras e vasos musculares se rompem. O objetivo deste estudo foi mostrar o protocolo de reabilitação estabelecido para um paciente atendido pelo projeto de traumato-ortopedia do Centro Universitário Cesuca. As condutas realizadas inicialmente para as sessões foram: eletroterapia para diminuição do edema localizado com aplicação do ultrassom pulsado, além de drenagem linfática manual e bandagens funcionais ou Kinesio Taning no membro inferior lesionado, para a estabilidade da perna fortaleceu-se os músculos do quadríceps utilizando um protocolo de exercícios: treino de marcha, subida e descida de escada e rampa; bicicleta ergonômica; exercícios proprioceptivos com a meia bola Bosu e prancha de equilíbrio; agachamentos na cama elástica, juntamente com deslocamentos latero- laterais em adução e abdução de quadril utilizando a faixa elástica ou mini band, também foram feitos exercícios de flexão de joelhos com auxílio de uma bola pesando 3Kg; para movimentos multiarticulares usamos exercícios tipo afundo com o membro lesionado, alongamentos ativos de membros inferiores, superiores e coluna, também fizemos alongamento do tipo FNP (facilitação neuromuscular proprioceptiva) de membros inferiores, caminhadas e corridas leve na esteira elétrica. Finalizamos com mobilização miofascial instrumental no músculo tensor da fáscia lata por decorrência da sobrecarga gerada durante os exercícios. Até o presente momento através de reavaliação fisioterapêutica, obtivemos bons resultados na diminuição da dor, na recuperação do músculo reto femoral lesionado e ganho de estabilidade nos joelhos, prevenindo assim futuros lesões, finalizando com liberação miofascial instrumental no músculo tensor da fáscia lata por decorrência da sobrecarga, com tudo obtivemos bons resultados na recuperação do reto femoral e um ganho de estabilidade no joelho prevenindo novas lesões.

Downloads

Publicado

2024-03-22