Construção de um fluxo de atendimento em uma Unidade de Pronto Atendimento, a mulheres vítimas de violência

um relato de experiência

Autores

  • Lohana Murussi Castilhos
  • Nathalia Machado da Silva
  • Dayane de Aguiar Cicolella
  • Márcia Dornelles Machado Mariot

Palavras-chave:

Saúde da Mulher, Violência contra a Mulher, Fluxo de trabalho

Resumo

Atualmente a violência é um grande problema de saúde pública e torna-se comum a procura das vítimas aos locais de pronto atendimento. Dentro da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, existe uma diretriz que destaca o papel da Sistema Único de Saúde (SUS) na capacitação e orientação dos profissionais na promoção, proteção, assistência e recuperação da saúde das mulheres. É de suma importância que o assunto sobre violência contra mulher seja abordado com seriedade a fim de amenizar a dor, o sofrimento e as perdas que essas mulheres sofrem perante a sociedade de modo geral. A luta para equidade social pode e deve começar dentro de espaços públicos, como uma unidade de pronto atendimento. Objetivo: relatar a experiência da construção e da implementação de um fluxo de atendimento em uma unidade de pronto atendimento, as mulheres vítimas de violência. Método: Trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência, realizado mediante intervenção prática obrigatória durante o estágio curricular, no segundo semestre de 2023. A elaboração do presente material foi realizada com base nas diretrizes do Ministério da saúde de Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher. Resultados e discussão: Juntamente com a Responsável Técnica de Enfermagem da unidade de pronto atendimento, foi elaborado e implementado o fluxo de atendimento as vítimas de violência de acordo com a disposição do espaço local e necessidades dos funcionários. Após discussão das possibilidades, foi organizado uma sala para o atendimento exclusivo das vítimas, com computador, pasta com fichas de notificação, lenços, cadeiras e placa de entrada. A ideia foi acolhida por todas as equipes e colocada em prática desde o primeiro dia. A secretaria de saúde do município também se fez presente a fim de conhecer o fluxo e a forma de atendimento. Considerações finais: A violência contra a mulher é um assunto delicado e difícil de ser abordado pela equipe multiprofissional, mas que atinge um elevado número de mulheres, por isso, é de suma importância que os profissionais de saúde estejam aptos para acolher e ajudar essas pacientes que comumente procuram os serviços em forma de socorro, desamparadas, sem saber que rumo tomar e que medidas são cabíveis a serem tomadas. É nesse contexto, que destaca-se a importância da implementação de fluxos de atendimentos nos locais de saúde e também a necessidade de a capacitação e qualificação doa profissionais que atenderão essas mulheres.

Downloads

Publicado

2024-03-22