Composições em conflito

música brasileira como testemunha da violência e seletividade da guerra às drogas no Brasil

Autores

  • Rafaela Beretta Eldebrando
  • Emerson de Lima Pinto

Palavras-chave:

Direito Penal, Música, Guerra às Drogas

Resumo

O presente artigo tem como objetivo realizar uma análise crítica de determinadas músicas brasileiras que manifestam os efeitos principais da guerra às drogas no Brasil, principalmente em áreas marginalizadas. Estas regiões, caracterizadas pela prevalência do encarceramento em massa, são profundamente afetadas pela política de combate às drogas ilícitas, que é marcado por violência e repressão em operações policiais. Serão examinadas composições musicais de artistas e grupos, como o Planet Hemp, o grupo de rap Racionais MC’s e o cantor Gabriel o Pensador. O cerne da discussão reside na exploração do fomento da política de guerra às drogas no Brasil e nas consequências que têm se manifestado ao longo das últimas décadas. A abordagem proposta se pautará às luzes do Direito Penal e dos Direitos Humanos, atentando para o contexto social moldado pela estrutura política proibicionista no Brasil, bem como para a percepção de um combate seletivo ao uso e tráfico de drogas. É imperativo ressaltar que o objetivo do presente estudo não reside em informar ou minimizar os malefícios associados ao uso de substâncias psicoativas. A pesquisa visa contribuir para um entendimento dos efeitos da política de repressão do uso e tráfico de entorpecentes, que vem a perpetuar o ciclo de violência e encarceramento em massa. Por meio deste estudo, almeja-se contribuir para uma compreensão de questões sociais e legais que permeiam este sistema e promover um debate significativo sobre a necessidade de reexaminar abordagens e políticas relacionadas à questão ao proibicionismo das drogas no Brasil. O objeto de análise concentra-se nas músicas selecionadas, adotando metodologia qualitativa com base em bibliografias especializadas em Direito Penal e Sociologia. Ademais, dados estatísticos foram coletados de relatórios governamentais para fundamentar as análises quantitativas apresentadas no artigo.

Downloads

Publicado

2024-03-22