Assistência de enfermagem ao indivíduo com autismo

um relato de experiência

Autores

  • Amanda Comerlato da SILVA Centro Universitário Cesuca
  • Francieli ÁRTICO Centro Universitário Cesuca
  • Dayane de Aguiar CICOLELLA Centro Universitário Cesuca

Resumo

A condição denominada como Autismo, transtorno autista, autismo infantil ou na infância, foi exposto pelo Médico Leo Kanner em 1943, embora já provavelmente existisse. O médico apresentou cerca de 11 crianças que possuíam comportamento diferente das demais, sem interesse por interação social, e por muitas vezes, apresentavam dificuldade em relação às mudanças, quaisquer fossem elas, como mudar objetos de lugar e trajetos diários. Também, citou comportamentos incomuns como o de balançarem o corpo, andar na ponta dos pés e sacudir as mãos. Ainda, destacou a linguagem na forma ecolálica e com inversão de pronomes.  Com base nas ações de saúde mental, aponta-se que a enfermagem atua diretamente no cuidado ao indivíduo autista, promovendo melhoras nas relações e interações sociais. Objetivo: relatar a experiência vivenciada pelas discentes do curso de Enfermagem do Centro Universitário Cesuca no semestre 2021/1 durante práticas na disciplina saúde mental. Método: Trata-se de um relato de experiência do tipo descritivo e com abordagem qualitativa. A experiência acadêmica ocorreu em um residencial que acolhe pessoas adultas com autismo, localizado em um município do Rio Grande do Sul/Brasil. Resultados: As ações realizadas em campo destinavam-se à conversa terapêutica e promoção de cuidados individuais aos residentes. Além disso, a coleta de informações sobre o estado de saúde dos moradores, bem como avaliação de enfermagem (anamnese e exame físico) foram desenvolvidas. Durante as práticas as acadêmicas observaram que, apesar de o indivíduo autista enfrentar dificuldades com a interação social e mudanças, quando realizado um projeto terapêutico que abranja múltiplas atividades é possível melhora nas relações para a implementação do cuidado terapêutico. Este, por sua vez, auxilia no desenvolvimento do residente e aumenta o vínculo com os demais moradores, auxiliando na redução do estresse diário. Destaca-se que esse modelo somente foi possível de ser realizado a partir da participação efetiva e em conjunto com a equipe multidisciplinar que valoriza as ações e intervenções do profissional enfermeiro. Considerações finais: Para as discentes de enfermagem a experiência foi de grande importância, pois ampliou conhecimentos práticos sobre cuidados ao indivíduo autista. Cabe ressaltar que o conhecimento técnico e científico do enfermeiro é primordial, pois qualifica a assistência prestada e facilita à equipe a promoção de estratégias de saúde que ofertem uma melhora na interação social da pessoa com autismo. 

Downloads

Publicado

2021-12-03