Saúde da mulher e o saber popular

experiências em uma unidade básica de saúde

Autores

  • Bruna da Costa VIEIRA Centro Universitário Cesuca
  • Dayane de Aguiar CICOLELLA Centro Universitário Cesuca

Resumo

Elaborado e distribuído pelo Ministério da Saúde, os Protocolos de Atenção Básica – Saúde das Mulheres é um documento norteador para o potencial de ação do profissional da saúde da rede pública. Sua versão mais atual foi publicada no ano de 2016, possuindo abrangência nacional como material complementar aos Cadernos de Atenção Básica. Os Protocolos dispõem de conteúdos como problemas relacionados a menstruação, lesões e dores íntimas, problemas nas mamas, queixas urinárias, prevenção ao câncer de mama e de colo uterino, atenção as mulheres em situação de violência sexual e/ou doméstica, entre outros. No Sistema de Saúde o uso destes temas parece estar inerente ao cotidiano dos trabalhadores e usuários das unidades básicas, porém quando se trata de saúde coletiva outros princípios se envolvem neste vasto campo, como, por exemplo, o saber popular. Objetivo: relatar a experiência de uma aluna do curso de graduação em Enfermagem do Centro Universitário Cesuca em campo de prática da disciplina Saúde da Mulher. Método: trata-se de um relato de experiência de uma aluna inserida em uma unidade básica de saúde localizada na região metropolitana de Porto Alegre/RS. Resultados: De modo que as unidades básicas de saúde são estrategicamente inseridas na comunidade, algumas vezes nota-se que o saber popular engloba nichos etários. Isto evidenciou-se em casos de consultas para rastreamento de rotina onde as pacientes em idade de menopausa, ou seja, maiores de 50 anos, respeitavam o intervalo entre os exames e eram cautelosas quanto as questões referentes a sua saúde intima, tais como vida sexual, início da menopausa, entre outros. As pacientes jovens, por outro lado, não mostraram controle sobre sua própria saúde, tendo como exemplo o relato de uma delas a qual possuía um intervalo superior a 04 anos de sua última coleta do exame Papanicolau. Apesar de haver anualmente campanhas municipais de rastreamento que conseguem um número de coletas extremamente satisfatório, vale ressaltar que o câncer, sendo de colo uterino ou de mama, continua sendo uma doença perigosa e silenciosa. Considerações finais: Como futuros profissionais de saúde pública ou privada devemos nos ater mais firmemente à questão do acolhimento em saúde coletiva, a fim de resgatarmos a confiança da comunidade num profissional que conhece o mundo do paciente e sabe seu modo de tratar da própria saúde. Pois, mesmo que inserida num ambiente de cuidado universal, cada pessoa é única e ser tratada deste modo demonstra um nível de cuidado humanizado do qual tanto é visto e estudado teoricamente, cujo é chegado o momento de perpetrar.

Downloads

Publicado

2021-12-03