Prática em gestão

experiências em campo sustentadas pelas diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em enfermagem

Autores

  • Bruna da Costa VIEIRA Centro Universitário Cesuca
  • Caroline Reis da SILVA Centro Universitário Cesuca
  • Daiana Fischer de LIMA Centro Universitário Cesuca
  • Fernanda Santos Rodrigues de SOUZA Centro Universitário Cesuca
  • Jorge Audi PARMAGNANI Centro Universitário Cesuca
  • Odete Aguiar da SILVA Centro Universitário Cesuca
  • Dayane de Aguiar CICOLELLA Centro Universitário Cesuca

Resumo

As Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem destacam a tomada de decisões, a liderança, o gerenciamento e administração como atributos indispensáveis dos futuros profissionais enfermeiros. Tais habilidades e competências possuem uma forma única de serem adquiridas: a vivência prática em campo. Estudos recentes apontam que há certas limitações quanto a formação de profissionais no âmbito gerencial. Por esta razão, a exposição do granduando na prática em campo é de vital importância, visto que pela vivência particular de cada aluno é que este adquire as habilidades fundamentais de um bom profissional de saúde. Objeitvo: relatar a experiência de alunos do curso de graduação em Enfermagem do Centro Univestiário Cesuca em campo de prática da disciplina Gestão em Enfermagem. Metódo: trata-se de um relato de experiência de um grupo composto por seis alunos inseridos em uma unidade de internação adulto em um hospital localizado na região metropolitana de Porto Alegre/RS. Resultados: As práticas em campo foram iniciadas em agosto de 2021, sendo inicialmente revisão de conteúdo no laboratório do campus. Posteriormente as competências gerais do enfermeiro começaram a ser avaliadas, dando incío à montagem de planilhas e escalas para aplicação na unidade escolhida para campo. Ao chegar na unidade houve identificação imediata de algumas situações envolvendo o papel do enfermeiro em desacordo com os principios teóricos da disciplina, como, por exemplo, uso incorreto do dimensionamento de pessoal tratando-se da complexidade de cuidados dos pacientes internados, e número de leitos ocupados. Outra questão importante a destacar é a falta de insumos, os quais no âmbito hospitalar teoricamente são de responsabilidade do enfermeiro. Entretanto, este tipo de vivência permite-nos refletir sobre a quantidade de tarefas que o profissional de saúde consegue realizar com dedicação e maestria, visando o bem estar de cada vida que encontra. Sendo uma unidade com uma média capacidade de ocupação, foi observado que a maioria dos pacientes indentificam o trabalho da enfermagem local como satisfatório. Também vale ressaltar a cordialidade entre os profissionais do hospital e o grupo de alunos, juntamente com a professora, os quais eram solícitos quando os alunos precisavam de qualquer ajuda, mesmo extremamente atarefados por causa da falta de dimensionamento profissional na unidade. Considerações finais: As vivências práticas são de extrema importância para o desenvolvimento do aluno em formação. É através destas experiências que o graduando tem a quebra do ambiente universitário com o ambiente real e possui tempo hábil para agregar o melhor dos dois e ser um profissional que faz a diferença em uma equipe que pode estar fragilizada, desfalcada, ou simplesmente necessitando de aprimoramnto. Estes domínios sustentam a importância dos pricípios e objetivos das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem, sendo assim o norte indispensável para qualquer aluno que queira exercer sua profissão com a mesma maestria encontrada no hospital escolhido.

Downloads

Publicado

2021-12-06