Uso do laser de baixa potência na cicatrização de feridas

Autores

  • Carlinda Dorneles SANTARIANO Centro Universitário Cesuca
  • Luciane Rosa FEKSA Centro Universitário Cesuca

Resumo

O processo de regeneração e cicatrização é comum a todas as feridas e representam um grande desafio no tratamento. Estas feridas podem ser agudas ou crônicas e podem resultar da insuficiência venosa ou arterial, diabetes, queimaduras, traumas, pressão crônica ou cirurgia. As falhas mais importantes do processo de regeneração e cicatrização tecidual ocorre nos estágios iniciais, levando a acentuação do edema, reduzindo a proliferação vascular e diminuição dos elementos celulares, tais como leucócitos, macrófagos e fibroblastos. Apresenta três estágios de reparação tecidual: inflamação, proliferação e maturação. Fase inflamatória se inicia imediatamente após a lesão, fase proliferativa tem início ao redor do quarto dia e fase maturação pode durar 1 ano ou mais. Este trabalho tem como objetivo relatar o uso de Laser de baixa potência (LBP), como uma modalidade terapêutica e mais uma importante ferramenta aliada no processo de cicatrização de feridas, com objetivo de acelerar a cicatrização, promover a regeneração tecidual, diminuir a inflamação e aliviar a dor, permitindo um processo mais rápido na recuperação destas feridas. Trata-se de uma revisão bibliográfica narrativa sobre o uso do LBP no processo de cicatrização de feridas, a partir de busca nas bases de dados eletrônicas: Scielo, Pubmed e Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), publicados nos últimos 5 anos, nos idiomas português e inglês. Serão utilizadas para a busca eletrônica as seguintes palavras-chave: Laser de baixa potência, cicatrização, regeneração, traumas e feridas. 

Downloads

Publicado

2021-12-02