10. NOSSO PROCESSO JUDICIAL DÁ MARGENS A DRAMAS KAFKIANOS COMO O DO BANCÁRIO JOSEPH K.?

Autores

  • Rogério Moreira Lins PASTL CESUCA, Faculdade Inedi

DOI:

https://doi.org/10.17793/rdd.v2i2.51

Resumo

O livro “O Processo” de Franz Kafka retrata o desconhecimento de um homem acerca de uma demanda a que está submetido. Mostra a inquietude de um ser humano buscando conhecer as razões que levaram a ser parte em um processo judicial, que se mostra totalmente desconhecido em relação à acusação e ao esdrúxulo procedimento narrado pelo autor.

O presente artigo tenta contextualizar e traçar algumas semelhanças com nosso processo civil atual, onde uma grande parte dos cidadãos não tem  consciência de seus direitos e de como funciona o procedimento processual.

Neste sentir, o trabalho elenca alguns princípios processuais trabalhados em sala de aula e reforça a ideia de que o Direito é uma valiosíssima ferramenta de pacificação social e de erradicação das angustias humanas exteriorizadas em uma demanda judicial, o que só reforça seu caráter interpretativo e compromissado com a historicidade e com a compreensão dos fenômenos e fragilidades humanas.

Downloads

Publicado

2012-11-16