8. ENSINO JURÍDICO E FEMINISMO: UMA NECESSÁRIA APROXIMAÇÃO

Resumo

Defende-se no presente artigo uma necessária aproximação entre o feminismo e o ensino jurídico, uma vez que o ensino jurídico não valoriza de forma adequada o importante movimento que é o feminismo, o qual luta pela afirmação de diversos direitos. Inicialmente, analisa-se o estágio em que se encontra o ensino jurídico, evidenciando-se verdadeira crise, o que justifica uma mudança de paradigma. Num segundo momento, afirma-se que a mudança começa pela adoção dos direitos humanos como o eixo central da educação jurídica e também de toda a educação. Após, explora-se o feminismo, analisando-se suas características e postulados para, ao final, concluir que o ensino jurídico e o feminismo devem estar intimamente ligados, já que ambos necessitam adotar um ideal comum: a luta pela erradicação das desigualdades.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Professor de Direito

Referências

ADEODATO, João Maurício. A OAB e a massificação do ensino jurídico. In: SILVEIRA; Vladimir Oliveira da; SANCHES, Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini; COUTO, Mônica Bonetti (Orgs.). Educação jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013.

AMARAL, Antonio Carlos Rodrigues do. Ensino jurídico e método do caso: ética, jurisprudência, direitos e garantias fundamentais. São Paulo: Lex Editora, 2011.

ANDRADE, Cássio Cavalcante. Direito educacional: interpretação do direito educacional à educação. Belo Horizonte: Fórum, 2010.

ARAUJO, Ana Laura Vallarelli Gutierres. Educações; prática de liberdade e da responsabilidade. Revista de Direito Educacional, São Paulo, n. 2, p. 13-26, jul./dez. 2010.

ARAÚJO, Raquel Martins Borges Carvalho. Direito das mulheres e injustiça dos homens: A tradição cultural de Nísia Floresta da obra Vindication of the rights of woman de Mary Wollstonecrft. Fazendo Gênero 9, Diásporas, Diversidades, Deslocamentos, 23 a 26 de agosto de 2010.

AUAD, Daniela. Feminismo: que história é essa? Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

BADR, Eid. Curso de direito educacional: o ensino superior brasileiro. Curitiba: CRV, 2011.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. I. Fatos e Mitos. 6. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

BENTO, Flávio; MACHADO, Edinilson Donisete. Educação jurídica e função educacional. In: SILVEIRA; Vladimir Oliveira da; SANCHES, Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini; COUTO, Mônica Bonetti (Orgs.). Educação jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013, p. 197-213.
CAMPOI, Isabela Candeloro. O livro “Direitos das mulheres e injustiça dos homens” de Nísia Floresta: literatura, mulheres e o Brasil do século XIX. História, São Paulo, v.30, n.2, p. 196-213, ago/dez 2011.

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, diversidade cultural e educação: a tensão entre igualdade e diferença. In: FERREIRA, Lúcia de Fátima Guerra; ZENAIDE, Maria de Nazaré Tavares; DIAS, Adelaide Alves (Orgs.). Direitos humanos na educação superior: subsídios para a educação em direitos humanos na pedagogia. João Pessoa, Editora Universitária da UFPB, 2010, p. 205-228.

________. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 37, p.45-56, jan./abr. 2008.

CARBONARI, Paulo Cesar. Educação em direitos humanos: por uma nova pedagogia. In: VIOLA, Solon Eduardo Annes; ALBUQUERQUE, Marina de (Orgs.). Fundamentos para educação em direitos humanos. São Leopoldo: Sinodal/EST, 2011, p. 119-127.

CARVALHO, Marília Pinto de. Sucesso e fracasso escolar. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.1, p.185-193, jan. jun. 2003.

CASANOVA, Ramón. En torno a los derechos humanos y la educación. In: LEMES, Sebastião de Souza; MONTEIRO, Sueli Itman; RIBEIRO, Ricardo (Orgs.). A hora dos direitos humanos na educação. São Carlos: RiMa, 2009.

CONDORCET. Cinco memórias sobre a instrução pública. Tradução e apresentação de Maria das Graças de Souza. São Paulo: UNESP, 2008.

COSTA, Ana Alice Alcântara. O movimento feminista no Brasil: dinâmica de uma intervenção política. In: MELO, Hildete Pereira de; PISCITELLI, Adriana; MALUF, Sônia Weidner; PUGA, Vera Lucia. (Orgs.). Olhares feministas. Brasília: UNESCO, 2009, p. 51-81.

DIAS, Adelaide Alves; PORTO, Rita de Cassia Cavalcanti. A pedagogia e a educação em direitos humanos: subsídios para a inserção da temática da educação em direitos humanos nos cursos de pedagogia. In: FERREIRA, Lúcia de Fátima Guerra; ZENAIDE, Maria de Nazaré Tavares; DIAS, Adelaide Alves (Orgs.). Direitos humanos na educação superior: subsídios para a educação em direitos humanos na pedagogia. João Pessoa, Editora Universitária da UFPB, 2010.

________. Da educação como direito humano aos direitos humanos como princípio educativo. In: SILVEIRA, Rosa Maria Godoy (Org.). Educação em direitos humanos: fundamentos teórico-metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária, 2007.

DUARTE, Constância Lima. Feminismo e literatura no Brasil. Estud. av. [online]. 2003, vol.17, n.49, pp. 151-172.

DUARTE, Maurizete Pimentel Loureiro; DUARTE, Gerson Constância. A pedagogia como instrumento utilizado na formação dos alunos no curso de direito. Revista de Direito Educacional, São Paulo, n. 6, p. 163-176, jul./dez. 2012.

DUTRA, Fernanda Arruda. O problema do ensino jurídico no Brasil – breves reflexões. In: TRINDADE, André (Coord.). Direito educacional: sob uma ótica sistêmica. Curitiba: Juruá, 2010.

FERRARO, Alceu Ravanello. Direito à Educação no Brasil e dívida educacional: e se o povo cobrasse? Educ. Pesqui. [online]. 2008, vol. 34, n. 2, pp. 273-289.

________. Escolarização no Brasil: articulando as perspectivas de gênero, raça e classe social. Educ. Pesqui. [online]. 2010, vol.36, n.2, p. 505-526.

FERRAZ, Anna Candida da Cunha. Educação em direitos humanos: pressuposto para o exercício da cidadania. In: SILVEIRA; Vladimir Oliveira da; SANCHES, Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini; COUTO, Mônica Bonetti (Orgs.). Educação jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013

FLECHA, Ramón. Por que Paulo é o principal pedagogo na atual sociedade da informação? In: FREIRE, Ana Maria Araújo (Org.). A pedagogia da libertação em Paulo Freire. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

FORNET-BETANCOURT, Raul. Interculturalidade, críticas, diálogos e perspectivas. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

________. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 16. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

GENTIL, Plínio Antônio Britto. A (in)eficiência da justiça e a preparação do bacharel. In: SILVEIRA; Vladimir Oliveira da; SANCHES, Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini; COUTO, Mônica Bonetti (Orgs.). Educação jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013.

GONÇALVES, Tamara Amoroso. Direitos humanos das mulheres e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Tradução Marcos Santarrita. São Paulo: Saraiva, 2013.

HENRIQUES, Fernanda. Concepções Filosóficas e Representações do feminino. Comunicação apresentada no colóquio internacional Pessoa e Sociedade: Perspectivas para o Século XXI, Braga, 17-19 de novembro de 2005.

HOBSBAWM, Eric J. Era dos Extremos: o breve século XX: 1914-1991. Tradução Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MACHADO, Antônio Alberto. Ensino jurídico e mudança social. São Paulo: Atlas, 2012.

MATOS, Maria Izilda. História das mulheres e gênero: usos e perspectivas. In: MELO, Hildete Pereira de; PISCITELLI, Adriana; MALUF, Sônia Weidner; PUGA, Vera Lucia. (Orgs.). Olhares feministas. Brasília: UNESCO, 2009, p. 277-289.

MARQUES, Fabiano Lepre. Ensino jurídico: o embate entre a formação docente e o pacto de mediocridade. Revista de Direito Educacional, São Paulo, n. 3, p. 189-207, jan./jun. 2011.

MENEZES, Magali Mendes. Nos interstícios da cultura: as contribuições da filosofia intercultural. Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 3, p. 324-329, set./dez. 2011.

MORENO, Montserrat. Como se ensina a ser menina: o sexismo na escola. Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1999.

MORETTI, Denise Martins. Lições de Adorno e educação em direitos humanos no Brasil. Revista de Direito Educacional, São Paulo, n. 6, p. 41-62, jul./dez. 2012.

MOTA, Sergio Ricardo Ferreira. Metodologia do ensino crítico do Direito Tributário no Brasil: uma proposta para a superação da crise do ensino jurídico. Revista de Direito Educacional, São Paulo, n. 4, p. 337-360, jul./dez. 2011.

NICHOLSON, Linda. Interpretando gênero. Estudos Feministas, v.8, n.9, p.91-108, 2000.

NOGUEIRA, Conceição. Um novo olhar sobre as relações sociais de género: feminismo e perspectivas críticas na psicologia social. Braga: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

PHILIPP, Rita Radl. Derechos humanos y gênero. Cadernos CEDES, Campinas, v. 30, n. 81, p.135-155, mai./ago. 2010.

PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o direito Constitucional Internacional. 11. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2010.

PIRES, Cecília. Direitos humanos como proposta social: uma análise histórico-crítica. In: VIOLA, Solon Eduardo Annes; ALBUQUERQUE, Marina de (Orgs.). Fundamentos para educação em direitos humanos. São Leopoldo: Sinodal/EST, 2011.

ROCHA, Leonel Severo; COSTA, Bárbara Silva. Ensino do direito e percepções discentes: contribuições waratiana para a construção da pedagogia do novo. In: SILVEIRA; Vladimir Oliveira da; SANCHES, Samyra Haydêe Dal Farra Naspolini; COUTO, Mônica Bonetti (Orgs.). Educação jurídica. São Paulo: Saraiva, 2013.

RODRIGUES, Almira. Lugar de mulher é na política: um desafio para o século XXI. In: SWAIN, Tania Navarro; MUNIZ, Diva de Couto Gontijo. (Orgs.). Mulheres em ação: práticas discursivas, práticas políticas. Florianópolis, Ed. Mulheres, 2005, p. 15-34.

RUELLAS, Elaine Cristina da Silva; BRUSCATO, Wilges Ariana. Direitos fundamentais: desconhecimento e interesse. Revista de Direito Educacional, São Paulo, n. 3, p. 21-40, jan./jun. 2011.

SAMARA, Eni de Mesquita. Feminismo, justiça social e cidadania na América Latina. In: MELO, Hildete Pereira de; PISCITELLI, Adriana; MALUF, Sônia Weidner; PUGA, Vera Lucia. (Orgs.). Olhares feministas. Brasília: UNESCO, 2009, p. 83-91.

SCOTT, Joan W. A cidadã paradoxal. As feministas francesas e os direitos do homem. Florianópolis: Mulheres, 2002. 2

STECANELA, Nilda; FERREIRA, Pedro Moura. Mulheres e direitos humanos: desfazendo imagens, (re)construindo identidades. Caxias do Sul: São Miguel, 2009.

WOLKMER, Antonio Carlos. História do Direito no Brasil. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2015.

ZITKOSKI, Jaime José; ALBUQUERQUE, Paulo Peixoto de. Na indignação e no direito à diversidade: discussões sobre a atitude ética e pedagógica necessária. In: CAREGNATO, Célia Elizabete; BOMBASSARO, Luiz Carlos (Orgs.). Diversidade cultural: viver diferenças e enfrentar desigualdades na educação. Erechim: Novello & Carbonelli, 2013.
Publicado
2016-04-06
Como Citar
PETRY, Alexandre Torres. 8. ENSINO JURÍDICO E FEMINISMO: UMA NECESSÁRIA APROXIMAÇÃO. REVISTA JURÍDICA DO CESUCA, [S.l.], v. 3, n. 5, p. 186-208, abr. 2016. ISSN 23179554. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revistajuridica/article/view/898>. Acesso em: 27 jun. 2017. doi: https://doi.org/10.17793/rjc.v3i5.898.

Palavras-chave

Ensino Jurídico. Educação. Direitos Humanos. Feminismo. Diversidade.