5. Intervenção e prática em saúde coletiva

relato de experiência

  • Marilin Farias LESSA Cesuca- Faculdade Inedi
  • Liana Amandio DORNELES Cesuca- Faculdade Inedi

Resumo

Introdução: com o objetivo de auxiliar no processo de diagnóstico local e na identificação populacional, o mapa do território que abrange uma equipe de saúde da família é uma ferramenta do planejamento em saúde e necessidades desta população. O exercício de práticas de cuidado, assim como estratégias de prevenção  realizados em atenção básica de saúde é desenvolvida por equipes em territórios definidos, com a responsabilidade do cuidado desta população. A territorialização é uma forma de planejamento das ações em saúde direcionados as características situacionais bem como os diagnósticos populacional da área de abrangência. Com esse conhecimento as intervenções podem ser priorizadas conforme as necessidades de saúde apresentadas por esta  população no reconhecimento da frequência, vulnerabilidade e risco. Objetivos: melhorar a qualidade do serviço de saúde no reconhecimento da área e as micro áreas, visualizando a localização dos domicílios, famílias e os diagnósticos populacional. Metodologia: trata-se de  um trabalho de intervenção de um acadêmico do curso de graduação em Enfermagem da Faculdade Cesuca, em campo de práticas de estágio do curricular I – Prática em saúde coletiva, realizado em um ESF localizado no município de Cachoeirinha- RS. Resultados: a construção do mapa ocorreu a partir de um trabalho já iniciado por acadêmicos de outro semestre, na conclusão da distribuição da territorialização e dos diagnósticos populacional da área III de uma unidade de Estratégia de Saúde da Família. O território restrito por área permite o planejamento de ações setoriais direcionado nos condicionantes e determinantes da saúde disposta naquela área, sempre em concordância com os princípios da equidade. Um conjunto de ações de saúde coletiva ou individual que envolve a promoção, prevenção e proteção da saúde  bem como seus agravos, tratamentos, diagnósticos e reabilitação de danos é uma característica da atenção básica para uma manutenção da saúde realizando uma atenção integral. Práticas desenvolvidas em trabalho de equipe utilizando tecnologias de cuidado que auxiliam no manejo das necessidades de saúde de maior relevância disposto neste território, visando as necessidades de maior abrangência realizando um acolhimento humanizado por parte do enfermeiro e sua equipe nesta construção do cuidado. Considerações finais: no decorrer do estágio foi possível assimilar o conteúdo teórico estudado e vivenciar na prática a importância sobre a conhecimento da equipe de enfermagem na distribuição da área de abrangência. A busca de informações para a construção do material educativo possibilitou ampliar o conhecimento sobre a importância do diagnóstico populacional para construção de estratégias de atendimento e prevenção.

Publicado
2020-06-24
Como Citar
LESSA, Marilin Farias; DORNELES, Liana Amandio. 5. Intervenção e prática em saúde coletiva. REVISTA CUIDADO EM ENFERMAGEM-CESUCA - ISSN 2447-2913, [S.l.], v. 6, n. esp., p. 6, jun. 2020. ISSN 2447-2913. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revistaenfermagem/article/view/1789>. Acesso em: 08 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.26843/rcec.v0iespecial.1789.