2. PRESENÇA DO ACOMPANHANTE DE GESTANTES NAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE

CONTEXTUALIZANDO A REALIDADE BRASILEIRA

  • Paula Kirschke SANTOS UFMG /UFRGS
  • Anne Marie WEISSHEIMER

Resumo

OBJETIVO: Essa pesquisa visou caracterizar a presença do acompanhante da gestante no espaço institucional e conhecer a adesão à lei nesse cenário. METODOLOGIA: trata-se de uma revisão integrativa que buscou responder às seguintes questões: “Como se caracteriza a participação do acompanhante de gestantes em instituições de saúde com a implantação da Lei nº 11.108/2005? Qual a adesão das instituições de saúde à Lei nº 11.108/2005?”, pesquisa de artigos de periódicos indexados em bases de dados eletrônicos (SCIELO, BVS, LILACs e BDENF), no período de 2000 a 2014. RESULTADOS: Foram consideradas relevantes em relação à temática deste estudo 12 artigos, identificou-se que apesar das instituições demonstrarem uma abertura para aceitar a presença do acompanhante, essa prática ainda é vista como uma questão complexa que envolve aspectos relacionados às condições físicas ambientais das instituições de saúde, os artigos, apontam para a necessidade de aprofundar discussões e reflexões sobre o tema, com vistas às mudanças na prática obstétrica. CONSIDERAÇÕES FINAIS: É notório que há um longo caminho a percorrer, que apesar da vigência da Lei n. 11.108, algumas instituições de saúde não se submetem as suas normatizações, demonstrando resistência quanto à presença do acompanhante, subsidiada pela falta de conhecimento das gestantes.

Publicado
2018-02-08
Como Citar
SANTOS, Paula Kirschke; WEISSHEIMER, Anne Marie. 2. PRESENÇA DO ACOMPANHANTE DE GESTANTES NAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE. REVISTA CUIDADO EM ENFERMAGEM-CESUCA - ISSN 2447-2913, [S.l.], v. 4, n. 5, p. 14-25, fev. 2018. ISSN 2447-2913. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revistaenfermagem/article/view/1324>. Acesso em: 26 mar. 2019.