PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO OCUPACIONAIS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÂNCER EM UM AMBULATÓRIO DE PREVENÇÃO

  • Dayane de Aguiar CICOLELLA CESUCA
  • Roberta WATERKEMPER
  • Karina Amadori STROSCHEIN

Resumo

Objetivo: pretende-se identificar fatores de risco modificáveis relacionados a profissões para o desenvolvimento de câncer em pacientes atendidos em consultas destinadas à prevenção. Método: estudo quantitativo descritivo realizado em um hospital de Porto Alegre no período de janeiro a maio de 2011 com amostra de 29 pessoas. Na coleta de dados foram aplicados dois questionários e um checklist. Os dados foram analisados através de estatística descritiva simples e apresentados na forma de frequencia absoluta e relativa. Resultados: a profissão com maior prevalência de fatores de risco foi: Trabalhadores de serviços administrativos, Técnico de nível médio, Trabalhadores de serviços, vendedores do comércio de lojas e comércios e os Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais. Sedentarismo, álcool, exposição solar e tabagismo foram os fatores de risco mais prevalentes. Conclusões: identificar fatores de risco é fundamental para planejamento de ações de controle e pode influenciar na diminuição da morbimortalidade por câncer.

Biografia do Autor

Roberta WATERKEMPER
autor
Karina Amadori STROSCHEIN
autor

Referências

1. ANTUNES RCP, PERDICARIS AAM. Prevenção do câncer. São Paulo: Manole; 2010.
2. INTERNATIONAL AGENCY FOR RESEARCH ON CANCER. Globocan 2012: Estimated cancer
incidence, mortality and prevalence worldwide in 2012. France; 2014.
3. BRASIL. Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer. Estimativa 2014: incidência de
câncer no Brasil. Rio de Janeiro (RJ); 2014.
4. ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Saúde nas Américas. Brasília (DF); 2012.
5. BRASIL. Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer. Ações em enfermagem para
controle do câncer: uma proposta de integração ensino-serviço. Rio de Janeiro (RJ); 2008.
6. FACINA T. Estimativa 2014: Incidência de câncer no Brasil. Rev bras cancerol; V.60(1):63-65,
2014.
7. BRASIL. Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer. Prevenção e fatores de risco.
Rio de Janeiro (RJ); 2008.
8. BRASIL. Ministério do Trabalho e do Emprego. Classificação Brasileira de Ocupações
[Internet]. Brasília: 2014 [Acesso em:09 ago 2014]. Disponível em:
http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/informacoesGerais.jsf.
9. FINNISH INSTITUTE OF OCCUPATIONAL HEALTH. Memorandum from the Occupational
Cancer Working Group 2013. Helsinki: Tiina Santonen, Panu Oksa; 2013.
10. BRASIL, Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer. Diretrizes para a vigilância do
câncer relacionado ao trabalho. Rio de Janeiro (RJ); 2012.
11. PARKIN DM, BOYD L, WALKER LC. The fraction of cancer attributable to lifestyle and
environmental factors in the UK in 2010. British Journal of Cancer. V.(105): S77 – S81, 2011.
12. BRASIL, Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer. Políticas e ações para
prevenção do câncer no Brasil: alimentos, nutrição e atividade física. Rio de Janeiro (RJ);
2009.
13. CANCER RESEARCH UK. Alcohol and cancer: the evidence. [Internet]. Cancer Research
UK. [citado 2014 dez 11]. Disponível em: http://www.cancerresearchuk.org/cancerinfo/healthyliving/alcohol/.
14. INTERNATIONAL LABOR ORGANIZATION. Physical activity and exercise. Genève
Switzerland, 2014 [Acesso em: 10 dez 2014]. Disponível em:
http://www.ilo.org/safework/areasofwork/WCMS_118394/lang--en/index.htm.
15. LAWRENCE H, KUSHI S, COLLEEN D Et al. American Cancer Society Guidelines on Nutrition
and Physical Activity for Cancer Prevention. Reducing the Risk of Cancer With Healthy Food
Choices and Physical Activity. Cancer Journal for Clinicians. V.62(1):30-67, 2012.
16. OLIVEIRA DR, CARVALHO ESC, CAMPOS LC, Et al. Avaliação nutricional de pacientes com
câncer de mama atendidas no Serviço de Mastologia do Hospital das Clínicas. Ciênc. saúde
coletiva. V.19(5):1573-1580, 2014.
Dayane de Aguiar Cicolella, Roberta Waterkemper, Karina Amadori Stroschein
6. Prevalência de fatores de risco ocupacionais para desenvolvimento de câncer
em um ambulatório de prevenção
17. SEITZ H, PELUCCHI C, BAGNARDI V, Et al. Epidemiology and pathophysiology of alcohol and
breast cancer: Update 2012. Alcohol and Alcoholism. V.47(3):204-12, 2012.
18. Purohit V, Khalsa J, Serrano J. Mechanisms of alcohol-associated cancers: introduction and
summary of the symposium. Alcohol and Alcoholism. V.35(3): p. 155-60, 2005.
19. VUCENIK I, STAINS JP. Obesity and cancer risk: evidence, mechanisms, and
recommendations. Ann. N.Y. Acad. Sci. (1271): 37–43, 2012.
20. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Health effects of UV radiation. Genebra, 2014 [Acesso
em: 10 dez 2014]. Disponível em http://www.who.int/uv/health/en/.
Publicado
2017-08-31
Como Citar
CICOLELLA, Dayane de Aguiar; WATERKEMPER, Roberta; STROSCHEIN, Karina Amadori. PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO OCUPACIONAIS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÂNCER EM UM AMBULATÓRIO DE PREVENÇÃO. REVISTA CUIDADO EM ENFERMAGEM-CESUCA - ISSN 2447-2913, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 54-65, ago. 2017. ISSN 2447-2913. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revistaenfermagem/article/view/1308>. Acesso em: 17 out. 2017.