1. DESCARTE ADEQUADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA SAÚDE PROVENIENTES DAS ATUAÇÕES FARMACÊUTICAS

  • Sandra Oliveira SANTOS Faculdade Estácio de Sá de Goiás

Resumo

Introdução: Os resíduos sólidos de serviços de saúde devem ser adequadamente dispensados a fim de evitar riscos para a saúde humana e ambiental. A aplicação de leis e resoluções inerentes à temática possibilita o controle mais adequado no descarte dos mesmos, enquanto não se estabelece uma política mais acirrada na contenção de produção de resíduos sólidos da saúde. Objetivo: analisar o conhecimento de alunos de nono e décimo período do curso de farmácia de uma IES sobre adequado descarte de resíduo da saúde.  Metodologia: Fez-se assim uma pesquisa por meio de questionário com um grupo de alunos do nono e décimo período do curso de Farmácia de uma IES (Instituição de Ensino Superior) que se dispuseram a participar e a assinar o termo de consentimento livre esclarecido sobre o conhecimento dos descartes adequados para esses resíduos. Resultados: Os resultados obtidos permitiram a verificação que entre os alunos pesquisados há conhecimento dos principais problemas que assolam as Unidades de Saúde quanto ao descarte inadequado de resíduos. Conclusões/considerações finais: O produto dessa pesquisa sugere que as informações estão sendo repassadas no âmbito acadêmico embora acidentes no cotidiano dessas unidades continuem acontecendo.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Professora da Faculdade Estácio de Sá de Goiás, Mestre em Biologia, Médica Veterinária com complementação em Biologia, Gestora Ambiental e especialista em Saúde Pública e Tecnologia em Alimentos

Referências

1. Corrêa LB, Lunardi VL, Conto SM. O processo de formação em saúde: o saber resíduos sólidos de serviços de saúde em vivências práticas. Jan-fev 2007. REBEn - Revista Brasileira de Enfermagem, 60(1):21-5. Brasília (DF).
2. Gil, ES; Garrote, CFD; Conceição, EC; Santiago, MF; Souza, AR. Aspectos técnicos e legais do gerenciamento de resíduos químico-farmacêuticos. Jan./mar., 2007. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, vol. 43, n. 1.
3. Corrêa LB, Lunardi VL, Santos SSC. Construção do saber sobre resíduos sólidos de serviços de saúde na formação em saúde. Dez. 2008. Rev Gaúcha Enferm. 29(4): 557- 64. Porto Alegre (RS).
4. Universidade Estácio de Sá. Projeto Pedagógico de Curso – PPC, currículo 410 do curso de Farmácia vigente do ano 2012 á 2017.
5. ABNT (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS). (2004). Classificação de Resíduos Sólidos: NBR 10.004:2004. 2ª Edição. Rio de Janeiro/RJ.
6. Brasil. Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2 ago. 2010. Disponível em: file:///C:/Users/CASA/Downloads/LEI-12305-2010.pdf. Acesso em: 09.10.2016.
7. Brasil. ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 306, de 07 de dezembro de 2004. Disposição sobre o regulamento técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Aprovado pelo Decreto nº. 3029. Disponível em: http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B20735-1-0%5D.PDF.
8. Brasil. CONAMA Conselho Nacional de Meio Ambiente. Resolução nº 358 de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos de serviços de saúde e dá outras providências.
9. Brasil. Lei nº 5.991, de 17 de dezembro de 1973. Dispõe sobre o controle sanitário do comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, e dá outras providências. Brasília, 17 de dezembro de 1973; 152º da Independência e 85º da República.
10. Brasil. Ementa: Acrescenta o art. 6-A à Lei nº 5.991 de 17 de dezembro de 1973, para dispor sobre o recolhimento e o descarte consciente de medicamentos. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=493432.
11. Brasil. Resolução n.º 466, de 12 de dezembro de 2012. Trata de pesquisas em seres humanos. Publicada no DOU nº 12 – quinta-feira, 13 de junho de 2013 – Seção 1 – Página 59.
12. Ottobelli, C; Vaz, MRC; Cargnin, MCS; Argenta, C; Zanatta, RG. Acidentes de trabalho com perfurocortantes em unidade de centro cirúrgico na Região Sul do Brasil. O Mundo da Saúde, São Paulo - 2015;39(1):113-118.
13. Silva, DF; Sperling, EV; Barros, RTV; Avaliação do gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde em municípios da região metropolitana de Belo Horizonte (Brasil). Eng Sanit Ambient | v.19 n.3 | jul/set 2014 | 251-262.
14. Sá, CR; Carvalho, FAH. A problemática dos resíduos farmacêuticos no município de Rio Grande, Rio grande, 21(1): 59-72, 2009.
15. Melo, FAO; Araújo, JA; Rassi LMM. Desenvolvimento de um plano de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde, para unidade de suporte de pacientes portadores do HIV. Volta Redonda/RJ, v. 2, n. 1, pp. 34-51, Jan./Jun. 2016.
16. Lopes, CCGO. Descarte de medicamentos: programas de recolhimento e novos desafios. Departamento de Farmácia, Universidade Federal do Ceará. Rev Ciênc Farm Básica Apl., 2014;35(4):651-662 ISSN 1808-4532.
17. Cirani, BS; Miranda, A. IV SINGEP – Simposio Internacional de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade - parceria de uma indústria farmacêutica nacional com uma rede varejista de drogarias na orientação de descarte de medicamentos e suas embalagens: uma proposta sustentável. IV SINGEP – São Paulo – SP – Brasil – 08, 09 e 10/11/2015.
18. Moreschia, C; Rempelb, C; Backesc, DS; Carrenod, I; Siqueirae, DF; Marinaf, B. A importância dos resíduos de serviços de saúde para docentes, discentes e egressos da área da saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, 2014. Rev. Gaúcha Enferm. vol.35 no.2 Porto Alegre June 2014.
19. Kalinke, AC; Junior, LM. Descarte de medicamentos: situação atual, impactos e conhecimento da população. Revista Saúde e Pesquisa, v. 7, n. 3, p. 525-530, set./dez. 2014 - ISSN 1983-1870.
20. Borges, EA; Oliveira, MA. Educação ambiental com ênfase no consumo consciente e o descarte de resíduos – uma experiência da educação formal. II SEAT – Simpósio de Educação Ambiental e Transdisciplinaridade. UFG/IESA/NUPEAT- Goiânia, maio de 2011.
Publicado
2018-02-08
Como Citar
SANTOS, Sandra Oliveira. 1. DESCARTE ADEQUADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA SAÚDE PROVENIENTES DAS ATUAÇÕES FARMACÊUTICAS. REVISTA CUIDADO EM ENFERMAGEM-CESUCA - ISSN 2447-2913, [S.l.], v. 4, n. 5, p. 1-13, fev. 2018. ISSN 2447-2913. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revistaenfermagem/article/view/1287>. Acesso em: 24 set. 2018.