ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM FRENTE À INFECÇÃO PUERPERAL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

  • Aline Rocha Santos ELY Faculdade Inedi (Cesuca)
  • Fátima Helena CECCHETTO
  • Márcia Dornelles Machado MARIOT

Resumo

Trata-se de uma revisão integrativa da literatura que teve por objetivo verificar a efetividade dos serviços de enfermagem para a prevenção de infecção puerperal. O levantamento bibliográfico abrangeu publicações nacionais, publicadas entre os anos 1998 a 2009. Foram encontrados e incluídos neste estudo 14 artigos. A partir dos resultados foi possível observar a ausência de dados estatístico confiáveis e o despreparo e a falta de capacitação dos profissionais da área da saúde para prevenir a infecção puerperal. Pode-se concluir que através da interpretação dos resultados obtidos na pesquisa, podemos observar que os profissionais da saúde precisam aprimorar seus conhecimentos e habilidades para compreender a infecção puerperal, para que, dessa forma, possam e ajudar as puérperas. Ressalta-se que o aprimoramento deve ter início nas universidades de modo a formar profissionais capacitados e com foco na humanização. 

Referências

1 Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher/Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Área Técnica da Mulher. – Brasília: Ministério da Saúde, 2001. 1°. Ed. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/parto_aborto_puerperio.pdf

2 Laurenti R, Jorge M H P M, Gotlieb S L D. Mortes por doenças infecciosas em mulheres: ocorrência no ciclo gravídico-puerperal. Rev.Assoc Med Bras 2009; 55(1): 64-9. Disponível em: http: //www.scielo.br/pdf/ramb/v55n1/v55n1a18.pd

3 Monteiro R M, Junior C A A, Oliveira F C, Carvalho C B M, Moreira J L B. Infecção Assintomática do Líquido Amniótico. RBGO 2002; 24 (3): 175-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v24n3/a05v24n3.pdf

4 Nomura R M Y, Alves E A, Zugaibe M. Complicações Maternas Associadas ao tipo de parto em Hospital Universitário. Rev. Saúde Pub 2004; 38 (1):9-15. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v38n1/18446.pdf

5 Ramos J G L, Costa S M, Stuczynski J V, Brietzke E. Morte Materna em Hospital Terciário do Rio Grande do Sul-Brasil: um estudo de 20 anos. RBGO 2003; 25 (6): 431-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v25n6/a08v25n6.pdf

6 Carraro T E. Os Postulados de Nightingale e Semmelweis: Poder/Vital e Prevenção/Contágio como estratégias para a evitabilidade das infecções. Rev Latina-am enfermagem 2004; 12(4): 650-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v12n4/v12n4a11.pdf

7 Melo BCP, Amorim MMR, Katz L, Coutinho I, Veríssimo G. Perfil Epidemiológico e Evolução Clínica Pós-Parto na Pré-Eclampsia Grave. Rev Assoc Med Bras 2009; 55(2): 175-80. Disponíve em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v55n2/22.pdf

8 Rocha J E S, Duarte G, Cunha S P, Nogueira A A, Filho F M. Antibioticoprofilaxia com Ampicilina na Rotura Prematura das Membranas. Estudo Randomizado e Duplo Cego. RBGO 1999; 21(5): 251-58. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v21n5/12635.pdf

9 Machado N X S, Praça N S. Infecção Puerperal em Centro de Parto Normal: ocorrência e fatores predisponentes. Rev Bras Enferm 2005; 58 (1): 55-60. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n1/a10.pdf
10 Costa H F, Ávila I, Gonçalves M M. Antibioticoterapia Profilática em Obstetrícia: comparação entre esquemas. RBGO 1998; 20 (9): 509-15. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v20n9/a04v20n9.pdf

11 Rocco R, Leite H V, Vasconsellos M, Cabral A C V. Morbidade Associada a Cesariana Eletiva em Portadoras do HIV. RBGO 2003; 25(5): 323-28. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v25n5/16817.pdf

12 Pazero L C, Marcus P A F, Vega C E P, Boyaciyan K, Barbosa S A. Estudo da Mortalidade no Município de São Paulo durante o Ano de 1996. RBGO 1998; 20 (7): 395-403. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v20n7/a05v20n7.pdf

13 Marcos A, Lunardi L, Lindsey P C, Amed A M, Filho C. Morbidade Febril Puerperal em Pacientes Infectadas pelo HIV. RBGO 2003; 25 (3): 155-61. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v25n3/16617.pdf

14 Péret F J A, Melo V H, Paula L B, Andrade B A M, Pinto J A. Morbidade puerperal em portadoras e não-portadoras do vírus da imunodeficiência humana. RBGO 2007; 29 (5): 260-66. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v29n5/a07v29n5.pdf

15 Andrade A T L, Guerra M O, Andrade G N, Araujo D A C, Souza J P. Mortalidade Materna: 75 anos de observação em uma Maternidade Escola. RBGO 2006; 28 (7): 380-87. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v28n7/02.pdf

16 Guimarães E E R, Chianca T C M, Oliveira A C. Infecção Puerperal sob a Ótica da Assistência Humanizada ao Parto em Maternidade Pública. Rev Latino-am Enfermagem 2007; 15 (4): 1-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v15n4/pt_v15n4a03.pdf
Publicado
2016-11-30
Como Citar
ELY, Aline Rocha Santos; CECCHETTO, Fátima Helena; MARIOT, Márcia Dornelles Machado. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM FRENTE À INFECÇÃO PUERPERAL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. REVISTA CUIDADO EM ENFERMAGEM-CESUCA - ISSN 2447-2913, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 21-35, nov. 2016. ISSN 2447-2913. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revistaenfermagem/article/view/1227>. Acesso em: 17 out. 2017.