UM ESTUDO SOBRE OS GANHOS EM REDE DE COOPERAÇÃO E CONSÓRCIO OPERACIONAL

  • ALEXANDRE SANTOS GARCIA CESUCA/FACULDADE INEDI

Resumo

O presente artigo teve como objetivo entender como é percebido os ganhos em uma rede de cooperação de móveis do Estado do Rio Grande do Sul, com sede na região metropolitana de Porto Alegre e o consórcio operacional de transporte de passageiros, com sede em Porto Alegre. Para dar sustentação a pesquisa foi realizado um levantamento bibliográfico a fim de conceituar as redes de cooperação, consórcio, e estratégias de rede que contribuem para aprendizagem, economia, poder de barganha e ganhos de escala. Como método foi realizado um estudo qualitativo exploratório através de entrevistas. Os resultados apresentam que a participação das empresas, na rede de cooperação conseguem ter um ganho em faturamento e a participação das empresas no consórcio ganham em economia nos custos operacionais da frota. Também é destacado que a troca de informação e a comunicação entre os associados da rede e os participantes do consórcio possui fluidez gerando confiança e cooperação entre eles.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Mestre em Administração na Unisinos, especialista em Gestão Empresarial pelo Cesuca Faculdade Inedi e graduado em Comunicação Social Habilitação Relações Públicas pela Unisinos. Professor titular no CESUCA Faculdade Inedi, desde 2008 nos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Comércio Exterior, sou professor convidado do MBA em Gestão Empresarial da FADERGS, 2012 e MBA em Gestão de Pessoas - CESUCA - Faculdade Inedi, 2013. Coordenador da Talentus Empresa Júnior Cesuca, desde 2009 e coordenador da central de estágios, coordenador dos cursos de extensão em In Company do CESUCA Faculdade Inedi e professor convidado na Microlins, nos Cursos de Vendas e Marketing no Varejo, Atendimento a Clientes e Operador de Telemarketing. Experiência de 21 anos, na área comercial, no varejo, turismo e na área do ensino. Sócio-diretor da Atitude 3 Desenvolvimento em Gestão, facilitador de cursos e palestras em empresas como Sesi/RS, NeoBus, Bettanin, Petenatti, Atlas Schindler, Paramount Têxtil, Ritter Alimentos, Prefeitura Municipal de Cachoeirinha e DAER/RS.

Referências

BALESTRIN A. & VARGAS, L. M . A dimensão estratégica das redes horizontais de PMEs: teorizações e evidências. Revista de Administração Contemporânea, v. 8, p. 203-227. Edição especial, 2004.

BALESTRIN A., VARGAS, L. M. & FAYARD, P. (). O efeito rede em pólos de inovação: um estudo comparativo. Revista de Administração - USP, São Paulo, v.40, n.2. abril, maio,junho, 2005.

BALESTRIN, A., & VERSCHOORE, J. . Redes de cooperação empresarial: estratégias de gestão na nova economia. Porto Alegre: Bookman, 2008.

BALESTRIN, A., & VERSCHOORE, J. A associação em redes de cooperação in?uencia os resultados de pequenas e médias empresas? Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, Vol. 46, N. 1, p. 105-115, janeiro/abril, 2010.

BALESTRIN, A., VERSCHOORE, J. R. & REYES JUNIOR E. O Campo de Estudo sobre Redes de Cooperação Interorganizacional no Brasil. RAC, Curitiba, v. 14, n. 3, art. 4, pp. 458-477, maio/junho, 2010.

BARBOSA, F. A., SACOMANO, J. B. & PORTO, A. J. V. Metodologia de análise para redes interorganizacionais:competitividade e tecnologia. Gest. Prod., São Carlos, v. 14, n. 2, p. 411-423, maio-agosto, 2007.

CASAROTTO FILHO, Nelson; PIRES, Luis Henrique. Redes de pequenas e médias
empresas e desenvolvimento local. 2 ª ed. São Paulo: Atlas, 2001. 173 p.

COSTA, A. F. G. da . Guia para elaboração de monografias, relatórios de pesquisa: trabalhos acadêmicos, trabalhos de iniciação científica, dissertações, teses e editoração de livros. 3. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2003.

DYER, J.H.; SINGH, H. The relational view: cooperative strategy and sources of interorganizational competitive advantage. Academy of Management Review: 23 (4), p.660, 1998.

FEDRIZZI, L. B. ROLDAN, L. B., LENZ, G. S. & HANSEN, P. B. Redes Horizontais de Cooperação contribuindo para o Processo de Inovação em Micro e Pequenas Empresas Brasileiras. Revista de Administração da UNIMEP, v. 6, n.3, setembro / dezembro, 2008.

FERREIRA JÚNIOR, I. & TEIXEIRA, R. M. Redes De Pequenas Empresas: A Aplicação De Uma Tipologia em uma Rede de Supermercados. RAM – REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO MACKENZIE. Volume 8, n. 3, p. 128-152, 2007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, A. C. Como elaborar projeto de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

GRANDORI, Anna. An organizational assessment of interfirm coordination modes.
Organization Studies, Berlin,v.19, n.6, p.897-925, 1997.

GRANDORI, Anna; SODA, Giuseppe. Inter-firm networks: antecedents, mechanisms and forms. Organizations Studies, Berlin, v. 16, n.2, p.183-214, 1995.

GULATI, R., NOHRIA, N. & ZAHEER, A. Strategic Networks. Strategic Management Journal Strat. Mgmt. J., 21: 203–215, 2000.

JARILLO, J.C. Strategic Networks: Creating the bordeless organization. Ed. Butterworth-Heinemann, 1995.

KANTER, Rosabeth Moss. When giants learn cooperative strategies. Strategy & Leadership, Chicago, v.18, n.1, p.15-22, jan/fev 1990.

KOZA, Mitchell P.; LEWIN, Arie Y. The co-evolution of strategic alliances. Organization Science. Linthicum, v.9, n. 3, p.255-264, may/jun. 1998.

PACAGNAN, M. N. Alianças Estratégicas e Redes Colaborativas como Alternativa Competitiva para o Pequeno Varejista: Um Estudo Comparado. Revista de Gestão USP São Paulo, v. 13, n. especial, p. 19-30. pg. 228, 2006.

POWELL, W.W. Learning from collaboration: Knowledge and networks in the biotechnology andCalifornia Management Review; Spring; 40, 3; ABI/INFORM Global, 1998.

SEBRAE. Tendência do Mercado Brasileiro para o Setor de Móveis. Elaborado por: SEBRAE - Unidade de Acesso a Mercados – Núcleo de Inteligência de Mercado, 2009, novembro. Disponível em: http://www.biblioteca.sebrae.com.br. Acesso em: 19/12/2011.

VERSCHOORE, J.R.S. Redes de Cooperação Interorganizacionais: A Identificação de Atributos e Benefícios para um Modelo de Gestão. Porto Alegre: FEE, 2006.

WITTMANN, M. L., DOTTO, D. R. & WEGNER, Douglas. Redes de empresas: um estudo de redes de cooperação do Vale do Rio Pardo e Taquari no estado do Rio Grande do Sul. REDES, Santa Cruz do Sul, v. 13, n. 1, p. 160 – 180, janeiro/abril, 2008.
Publicado
2014-11-17
Como Citar
GARCIA, ALEXANDRE SANTOS. UM ESTUDO SOBRE OS GANHOS EM REDE DE COOPERAÇÃO E CONSÓRCIO OPERACIONAL. GESTÃO CONTEMPORÂNEA: REVISTA DE NEGÓCIOS DO CESUCA - ISSN 2446-5771, [S.l.], v. 1, n. 2, nov. 2014. ISSN 2446-5771. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revistaadministracao/article/view/675>. Acesso em: 27 nov. 2021.