Da senzala à casa grande

o lugar da mulher negra no mercado de trabalho atual e seus reflexos na previdência social

  • Dheniffer Luiz RODRIGUES Centro Universitário Cesuca
  • Cláudio Kieffer VEIGA Centro Universitário Cesuca

Resumo

Nota-se que a desigualdade causada por gênero e raça reflete-se no cotidiano, principalmente para as mulheres negras. Nesse sentido, a presente pesquisa tem como objetivo identificar, atualmente, o lugar da mulher negra no mercado de trabalho para refletir a hipótese do porquê em um país que dentre as mulheres, há uma predominância de negras, apenas uma minoria consegue desfrutar de uma aposentadoria tranquila e digna frente à previdência social. As mulheres negras em toda sociedade sempre sofreram com a dupla discriminação, a qual se trata de gênero e raça. As discriminações sofridas por essas mulheres existem em diversas áreas, porém mais ainda, quando falamos de mercado de trabalho. Com baixos salários e trabalhos informais, que segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), com dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social, últimos dados de 2018, demonstrou que os homens continuam ganhando mais do que as mulheres, sendo que, as mulheres negras recebem apenas 44,4% do percentual dos homens brancos, conforme a pesquisa. Dessa forma, se quer conseguem prover seu sustento, no entanto não conseguindo muitas vezes contribuir para um bem futuro. O objetivo é analisar a questão da desigualdade de gênero e raça no mercado de trabalho frente ao conceito de igualdade, a fim de demonstrar que em virtude do espaço em que elas se encontram, desfrutar futuramente de uma aposentadoria digna, torna-se, em sua maioria das vezes, inviável. Para isto, é necessário realizar um resgate histórico, demonstrando o conceito de igualdade e discriminação racial, trazendo os reflexos do período da escravatura, bem como analisar as condições em que se encontram as mulheres negras no mercado de trabalho atual, para assim, conseguir compreender que o estado atual dessas mulheres faz com que a grande maioria não consiga pleitear o direito a uma aposentadoria digna. Será utilizado o método de análise doutrinária, bem como de pesquisa empírica e do levantamento de dados estatísticos de modo a compreender porque de fato a maioria das mulheres negras não conseguem pleitear o direito a uma aposentadoria. O período escravista traz reflexos enraizados à sociedade até os dias atuais, assim tornando-se necessária a reflexão da futura pesquisa. 

Publicado
2021-01-12
Como Citar
RODRIGUES, Dheniffer Luiz; VEIGA, Cláudio Kieffer. Da senzala à casa grande. MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CESUCA - ISSN 2317-5915, [S.l.], n. 14, p. 55-63, jan. 2021. ISSN 2317-5915. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/mostrac/article/view/1910>. Acesso em: 24 sep. 2021.