Psicologia e comunidade

um relato de experiência da atuação em uma associação comunitária

  • Débora da Rosa SANTOS (OTUNOLÁ) Centro Universitário Cesuca
  • Bruna Larissa SEIBEL Centro Universitário Cesuca
  • Loiva dos Santos LEITE Centro Universitário Cesuca

Resumo

Este artigo partiu da prática de estágio em Psicologia comunitária realizada em uma Associação localizada no município de Cachoeirinha, RS, com o objetivo de perquirir, refletir e aprimorar os conhecimentos construídos a partir do contexto de atuação e as estratégias de intervenção no território, pautando um fazer ético e comprometido. Tendo em vista que a psicologia comunitária propõe outra forma de olhar e encarar sofrimento psíquico, utiliza-se aqui um modo de atuação distinto e distante do modelo clínico tradicional, pois compreende o indivíduo como sujeito de direitos ligado ao seu contexto, à sua realidade e ao seu território. Os conceitos utilizados dialogaram com pressupostos da Psicologia Crítica, considerando o momento histórico atual, garantindo que o método e a ação estejam vinculados a forma de construção social que promova a libertação, a autonomia e a valorização do coletivo como uma ontologia para o viver. Participaram dessa experiência famílias cujas crianças e adolescentes são atendidas pela Associação. As estratégias utilizadas foram: entrevistas e visitas domiciliares. Elas apontaram informações importantes para o mapeamento da realidade comunitária e seu funcionamento. Analisou-se a relevância de romper com dispositivos que contribuem na perpetuação do sofrimento psíquico resultante de comportamentos sociais atravessados pela necropolítica, pelo racismo colonial e pelas desigualdades sociais que estruturam nossa sociedade. Apresentaram-se elementos da psicologia africana como outra forma possível de pensar em saúde mental, considerando os valores civilizatórios perpassados transgeracionalmente no cruzamento do Atlântico até a vida contemporânea. Evidenciou-se o pensar do compromisso psi como um agente das políticas públicas, problematizando os determinantes sociais de saúde e a equidade para compreender a dimensão ontológica enfatizada pelas condições da vulnerabilidade de longa duração, contrastada pelos mecanismos sociais da colonização.


 

Publicado
2021-01-12
Como Citar
SANTOS (OTUNOLÁ), Débora da Rosa; SEIBEL, Bruna Larissa; LEITE, Loiva dos Santos. Psicologia e comunidade. MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CESUCA - ISSN 2317-5915, [S.l.], n. 14, p. 584-594, jan. 2021. ISSN 2317-5915. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/mostrac/article/view/1831>. Acesso em: 03 mar. 2021.