Perfil epidemiológico da sífilis congênita no município de Cachoeirinha, Rio Grande do Sul

2007 a 2017

  • Camila da Rosa MARACCI
  • Shaiane Favretto da SILVA
  • Gisele Cristina TERTULIANO Cesuca- Faculdade Inedi

Resumo

A sífilis congênita representa um grande desafio para a saúde pública devido ao aumento dos casos notificados e investigados pelas secretarias de saúde dos municípios brasileiros, principalmente a partir de 2010 onde iniciou o sistema de notificação e investigação da sífilis congênita, adquirida e em gestantes. A sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum cuja contaminação ocorre por meio de contato sexual desprotegido, via placentária, contato com agulhas ou transfusão de sangue. É classificada conforme os estágios e via de infecção como  sífilis primária, secundária, terciária, latente; e sífilis adquirida, em gestante e congênita respectivamente. O tratamento na fase gestacional é necessário para evitar ou diminuir a contaminação fetal ocasionando internação hospitalar para o recém-nascido. O objetivo do estudo será conhecer o perfil epidemiológico da  sífilis congênita do município de Cachoeirinha/RS através de uma série histórica de 10 anos que avaliará o perfil epidemiológico da transmissão materna e congênita. Metodologicamente os dados serão descritos quantitativamente através de um estudo transversal e documental pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação após a liberação do gestor municipal da saúde e do Comitê de Ética da  Faculdade Cesuca-Inedi. As condições de saúde da criança serão analisadas através das seguintes variáveis: resultado do teste não treponêmico no sangue periférico, diagnóstico clínico e sintomatologia. O perfil materno será avaliado pelas condições demográficas como idade, cor da pele e as variáveis socioeconômicas sendo elas escolaridade e ocupação. Quanto às condições de saúde serão analisadas as variáveis de: realização do pré-natal, momento do diagnóstico de sífilis congênita, resultado do teste não treponêmico no parto/curetagem e informações sobre a qualidade do tratamento. A condição paterna de saúde será analisada no contexto da realização do tratamento adequado concomitantemente com o da gestante/companheira.

Publicado
2018-12-17
Como Citar
MARACCI, Camila da Rosa; SILVA, Shaiane Favretto da; TERTULIANO, Gisele Cristina. Perfil epidemiológico da sífilis congênita no município de Cachoeirinha, Rio Grande do Sul. MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CESUCA - ISSN 2317-5915, [S.l.], n. 12, p. 148, dez. 2018. ISSN 2317-5915. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/mostrac/article/view/1491>. Acesso em: 24 mar. 2019.