IDEAÇÃO SUICIDA NA ADOLESCÊNCIA E FATORES COGNITIVOS E EMOCIONAIS ASSOCIADOS

  • Daiane Rocha OLIVEIRA CESUCA - Faculdade Inedi
  • Roberta Salvador SILVA
  • Sabrina Daiana CÚNICO

Resumo

A ideação suicida é compreendida como um relevante fator preditivo para o suicídio, sendo comumente relatada por jovens, principalmente aqueles que apresentam algum tipo de transtorno mental. Além disso, a adolescência é um período caracterizado pelo imediatismo e impulsividade devido à imaturidade cognitiva e emocional destes indivíduos, fatores que associados representam um importante sinal de alerta. Portanto, o objetivo deste estudo é identificar as diferenças entre alguns processos cognitivos e emocionais existentes em adolescentes com e sem ideação suicida, verificando posteriormente a correlação entre os sintomas característicos do Transtorno da Personalidade Borderline (TPB), o transtorno da personalidade mais associados ao suicídio e um dos mais prevalentes na população geral. Para isso, está sendo realizada uma pesquisa quantitativa, transversal com 64 adolescentes entre 13 e 18 anos. Os participantes são estudantes de uma escola particular ou pacientes de uma Clínica-escola de Saúde Mental, ambos da região metropolitana de Porto Alegre-RS (idade média 15 anos; 64% do sexo feminino; 78% escola particular). Foram avaliados de forma coletiva e, posteriormente, individual na própria instituição pertencente. Os instrumentos utilizados foram um questionário sociodemográfico, a Escala Tanner, o Inventário de Atividade Metacognitiva (IAM), a Escala de Dificuldades de Regulação Emocional (DERS), a Escala de Ideação Suicida de Beck (BSI), a Escala de Depressão de Beck (BDI), a Lista de Sintomas Borderline 23 (BSL-23), o Questionário Multimodal de Interação Escolar (CMIE-III), a Escala de Impulsividade Barrat (BIS-11), o Questionário sobre Traumas na Infância (CTQ), o Reading the Mind in the Eyes Test (EYES TEST) e os subtestes Cubos e Vocabulário (WISC-IV). Como resultados preliminares, através do levantamento das Escalas Beck (BDI e BSI), 23,4% apresentaram ideação suicida, 18,8% desejo de morrer, 12,5% desejo de se matar e 6,3% relataram já ter realizado uma ou mais tentativas de suicídio ao longo da vida. Com base nesses índices conclui-se que a ideação suicida é um fator frequente indicado na amostra, fazendo-se relevante a identificação dos fatores cognitivos e emocionais que diferem entre estes adolescentes com e sem ideação suicida. Pretende-se assim, com a conclusão deste estudo que está em fase final de coleta de dados, compreender os fatores cognitivos e emocionais associados à ideação suicida em adolescentes para o futuro desenvolvimento de intervenções clínicas e, principalmente, intervenções preventivas no contexto escolar.
Publicado
2016-12-19
Como Citar
OLIVEIRA, Daiane Rocha; SILVA, Roberta Salvador; CÚNICO, Sabrina Daiana. IDEAÇÃO SUICIDA NA ADOLESCÊNCIA E FATORES COGNITIVOS E EMOCIONAIS ASSOCIADOS. MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CESUCA - 2317-5915, [S.l.], n. 10, p. 396-398, dez. 2016. ISSN 2317-5915. Disponível em: <http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/mostrac/article/view/1230>. Acesso em: 22 jun. 2017.

Palavras-chave

Ideação suicida; Adolescência; Processos cognitivos e emocionais